Maragojipe canta seus filhos

sábado, 7 de janeiro de 2012

Dicas para curtir o verão de Maragogipe

Quelembe
Por Francisco Gomes

É tempo de estio, tempo de feriar, período de colocarmos o pé na estrada em busca de aventuras. E Maragojipe nos oferece vários locais para nos deliciarmos nesta estação que ferve como as moquecas feitas no tacho de barro de D. Cadú, nas barracas de Coqueiros do Paraguaçu.

São vários os atrativos da terra dos manguezais: as cachoeiras do Quelembe, de Bobó, do Pijurú, da Ribeira, do Tibungo, do Bule Bule e do Bate folha no rio Tijuca no distrito fluvial do Guaí onde além de seus rios e suas maravilhosas quedas d’agua a gente pode se deliciar com o tempero mágico de Dolores, comida caseira, no melhor sentido do termo: bem temperada, feita com carinho, caprichada e farta e as bolachinhas de goma artesanalmente feitas por Jandira. 

Gruta do Sol
O banho de mar nas águas salgadas e cristalinas da Enseada do Paraguaçu terra do poeta Jauperi no distrito de São Roque é bastante concorrido nesta época, é lá na Enseada que está sendo plantado o nosso futuro! Lugar abençoado por Nossa Senhora do Rosário de gente morena que arranca a vida com as mãos. 

Na Enseada ou enseadinha como é cariosamente chamada ainda é possível uma integração com a natureza. Como bem disse Jau em uma das suas canções: “Quando o verão chegar quero te encontrar no calor do sol e o mar, namoro na areia. Conchas, ondas, sonhos, canções, laços, beijos” É na Enseada que o mar brinca na areia. Perto Dalí temos a mutuca onde fica a cascata de Guimarães sua água pura e gelada nos prepara para um passeio de canoa ou saveiro pela foz do Paraguaçu esse Rio que nasce no morro do ouro em Barra da Estiva Chapada Diamantina, mas é aqui que despeja as suas ricas e doces águas que namoram as águas salgadas da Baía de todos os Santos. 

Poço das Sereias

É desse namoro e dessa mistura que surge às águas salobras, propícias para o nascimento de uma vida que tantas outras vidas vai alimentar é o nosso majestoso manguezal que pode ter sua beleza contemplada por diversos pontos da nossa terra mas principalmente da Ponte do Cajá onde o sol nasce mais cedo. É do Manguezal de Maragojipe que saí os frutos que compõem os pratos principais da culinária local: as frigideiras de siri e os camarões defumados do distrito de Najé, as moquecas de chumbinho, tarioba e mapé na praia de ponta de Souza o escaldado de Camarão e a moqueca de Robalo do Chuveirinho, os caldos afrodisíacos e apetitosos do Moreno e tantas outras delícias feitas nessa terra onde os mascarados do nosso carnaval matizam os paralelepípedos das nossas ruas com as cores da alegria, da tradição e da beleza.

Cópia autorizada com citação: