Carnaval de Maragogipe

Encante-se com a festa mais bela da Bahia.

Programação 2013

Confira a programação oficial do Carnaval de Maragogipe 2013

Galeria de Fotos

Encontre links para álbuns de fotografias no Picasa, Flickr, e Facebook

Downloads especiais

Baixe gratuitamente para seu computador livros e CD's do Carnaval de Maragogipe

Nossa FanPage

Entre na nossa Página de Fãs do Facebook

Maragojipe canta seus filhos

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Projeto Matizes de um Carnaval será apresentado no dia 30 de janeiro


Neste dia 30 de janeiro, a partir das 08 horas, na Casa da Cultura de Maragogipe acontecerá a realização do projeto "Matizes de um Carnaval, memórias e valorização de um povo". 

Confira a programação:

08h - Apresentação do Grupo de Mascarados
09h - Mesa de Abertura - As faces do "ser patrimônio"
10h30 - O Novo Paradigma: A sociedade civil como protagonista da história - Experiência da Chegança
11h30 - Apresentação do Projeto Matizes de um Carnaval

Ação apoiada pelo Fundo de Cultura da Bahia, o projeto propõe um espaço de discussão sobre a salvaguarda do Carnaval. Acontece neste sábado (30/01/2016), a apresentação do projeto Matizes de um Carnaval, na Casa da Cultura em Maragogipe. O encontro tem como objetivo reunir o poder público e a sociedade civil para que todos possam conhecer o cronograma de ações que será desenvolvido dentro do projeto durante os próximos meses no município e também propor um espaço de discussão sobre a salvaguarda do Carnaval, festejo de grande representatividade da cultura tradicional popular. O projeto é financiado pelo Fundo de Cultura da Bahia, mecanismo de fomento à cultura gerido pelas secretarias de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) e da Fazenda (Sefaz), contemplado pelo edital Agitação Cultural.

Visando financiar e estimular as produções artísticas culturais baianas, o Matizes de um Carnaval visa fomentar a criação de uma rede de artesãos locais que confeccionam máscaras e adereços para o Carnaval, incentivar o trabalho dos novos produtores através de capacitações de gestão e novas técnicas de produção voltada para a economia criativa. Essas ações além de proporcionar a transmissão do saber podem abrir espaço para a geração de renda através dos produtos confeccionados.

Dentre as atividades estão oficinas de gestão com empreendedorismo e economia criativa a também oficinas práticas de produção de máscaras e novas técnicas. As inscrições ocorrem de 15 a 19 de fevereiro, na Casa da Cultura.

O Carnaval – Reconhecido nacional e internacionalmente, o Carnaval de Maragogipe é registrado como Patrimônio Imaterial da Bahia. O festejo popular preserva a essência dos antigos carnavais, tendo como principal atrativo para a visitação dos turistas o desfile de máscaras e fantasias onde pessoas anônimas usam e abusam da criatividade e ganham as ruas levando magia e animação para todos.

Agenda

30/01/2016 – Seminário de Sensibilização e Fortalecimento
06 e 07/02/2016 – Oficina e distribuição de máscaras
15 a 19/02/2016 – Inscrições
26/02/2016 – Oficina – Empreendedorismo
11/03/2016 – Oficina – Economia Criativa
25/03/2016 – Oficina – Controle de Custos
08/04/2016 – Oficina – Comunicação para o Desenvolvimento
22/04/2016 – Oficina – Planejamento Estratégico
13/05/2016 – Oficina e Produção de Máscaras
20/05/2016 – Oficina e Produção de Máscaras
27/05/2016 – Oficina e Produção de Máscaras

Sobre o Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA)

Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito publico ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais.

BAHIA: Carnaval da Cultura terá diversidade de ritmos e estilos em 2016


Diversidade de ritmos, estilos e expressões retratam os mais de 360 diferentes artistas, grupos e entidades culturais que darão vida ao Carnaval da Cultura 2016. No ano em que o Carnaval do Pelô homenageia o centenário do primeiro samba gravado no Brasil, a Secretaria de Cultura do Estado (Secult) apoia blocos afros, afoxés, de índios, de samba e de reggae, além de encontro de artistas, bandas de sopro e percussão, performances, palcos para shows e desfiles de chão, em apresentações gratuitas. Isso sem falar na criatividade dos microtrios e nanotrios, que são um convite à alegria sem cordas para todos os públicos.

Para 2016, está previsto um investimento da ordem de R$ 11 milhões, destinado a quatro programas - Carnaval Ouro Negro, Carnaval do Pelô, Carnaval Pipoca e Outros Carnavais, que inclui a tradicional folia dos mascarados em Maragogipe. Juntos, eles mobilizarão cerca de 10 mil artistas em mais de 360 shows e performances artísticas.


Realizado pela Secult, por meio do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI), o Carnaval da Cultura espalha-se pelos principais circuitos oficiais da festa em Salvador – Barra, Campo Grande e Pelourinho – e alcança também a cidade de Maragogipe, no Recôncavo Baiano. A programação promovida pelo Governo do Estado é um dos grandes diferenciais do Carnaval de rua e busca estimular e democratizar o Carnaval da Bahia.

“Essa homenagem ao samba é a inspiração central de nossa festa. Mas a diversidade deu nome à Bahia. Se você pensa em samba reggae, em marchinha, em frevo, em tudo aquilo que se adapta para o Carnaval, você vai ter um mosaico muito maior ainda de ritmos e expressões diferentes. E tudo isso é abraçado também pelo Carnaval da Cultura”, afirma o secretário de Cultura, Jorge Portugal.

Marchinhas, carimbó, antigos Carnavais, axé e muito mais

Artistas e grupos dos mais variados estilos musicais se apresentam no Centro Histórico de Salvador. Nomes como BaianaSystem, Lazzo Matumbi, Armandinho, Gerônimo, Scambo, IFÁ Afrobeat, Bailinho de Quinta, Larissa Luz, Diamba, Paula Lima, Peu Meurray, Ivan Huol, Ana Mametto, Ganhadeiras de Itapuã, Carla Visi, Márcia Short, Band´Aiyê, Zezé Motta e Adão Negro estão entre as atrações, que transitam pelos ritmos afro, afro pop, antigos Carnavais, arrocha, axé, baile infantil, guitarra baiana, hip hop, orquestra, pop rock, reggae, samba.

No sábado (6), Armandinho Macedo, Gerônimo Santana e Vânia Bárbara fazem o show ‘Axé Música Forte’, em uma noite que o público também irá se divertir ao som de Paulinho Boca, André Macedo e Cláudia Cunha. O samba pede passagem com a apresentação de Nelson Rufino, Juliana Ribeiro e Adão Negro. No domingo (7), as Ganhadeiras de Itapuã sobem ao palco do Largo do Pelourinho ao lado de Zezé Motta e da cantora Aiace Félix, no show ‘Toda Mulher é Chica da Silva’. A noite contará, ainda, com shows de Alexandre Leão, Moreno Veloso e Targino Gondim, além do reggae de Dionorina.

As marchinhas, o carimbó e a animação de Bailinho de Quinta, Marcela Bellas e Felipe Cordeiro abrirão a festa na segunda (8). Na sequência, Ana Mametto, MagaryLord e Adelmo Casé fazem o show ‘Multidão, Música e Alegria’. A voz marcante de Lazzo Matumbi encerra a noite, ao lado de Tote Gira e Bagunçaço, com o ‘Batuque do Coração’.

A terça (9), abre espaço para as inovações na música da Bahia, capitaneada por um de seus maiores expoentes nos últimos anos, a banda BaianaSystem, que tem feito grandes apresentações no Carnaval do Pelô. O público também irá se divertir na folia democrática ao som de Márcia Short, Aloísio Menezes, Nadjane Souza, I.F.Á Afrobeat, Band’Aiyê e Dão.

No palco principal do Largo do Pelourinho, montado em frente à Fundação Casa de Jorge Amado, serão realizados 15 shows. Além dos de abertura e encerramento – Paulinho da Viola e BaianaSystem -, o credenciamento do Carnaval da Cultura selecionou 13 projetos compostos por três artistas, promovendo encontros musicais memoráveis e inusitados.

Muita percussão e Baile Infantil

Nas ruas do Centro Histórico, a animação será garantida por 22 grupos musicais – banda de percussão, bandão e bandinha de sopro e percussão – e 10 grupos performáticos. Juntos, eles valorizam a tradição dos antigos carnavais de rua e abrem alas na folia para os mais variados estilos musicais. “O credenciamento democratiza a festa, porque dá uma chance igual de trabalho a todos os músicos e artistas. Não tem indicação. É uma comissão especializada que faz a curadoria entre os projetos habilitados”, afirma a diretora do CCPI, Arany Santana.

Uma das novidades deste ano é a inclusão da categoria Baile Infantil, que foi contemplada com quatro propostas, com repertório de músicas infantis e atividades recreativas para agitar a criançada que vem curtir o Carnaval do Pelô junto com as famílias. Os bailinhos acontecerão de sábado à terça de Carnaval, sempre às 15h30, no Largo Pedro Archanjo.

“As estrelas trazem brilho para nossa festa, mas o grande conteúdo do Carnaval da Cultura é poder ver de perto a excelência do trabalho dos artistas da terra. Nos cinco dias de programação, teremos quase 200 músicos só no palco principal, sem falar nas equipes técnicas; então é uma responsabilidade grande cuidar desse evento que é a grande vitrine de nossa produção musical, em sua diversidade”, remonta Arany. A programação do Carnaval do Pelô é inteiramente gratuita.

O processo de credenciamento do Carnaval 2016 selecionou 106 projetos através de uma curadoria composta pelo produtor musical, radialista e músico André Simões, o Andrezão, o radialista Cristóvão Rodrigues, os músicos Antenor Cardoso e Ademar de Andrade, o ator Fábio de Santana e a coordenadora de eventos do Centro de Culturas Populares e Identitárias da Secult, Thelma Chase. Os classificados participam dos projetos Carnaval Pipoca e Carnaval do Pelourinho.

O apoio da SecultBA é para o carnaval com atrações culturais voltadas para o folião que não veste abadá. Um carnaval da maioria, afinal o folião pipoca compõe o público majoritário do Carnaval de Salvador e, portanto, merece toda a atenção. A programação completa dessa festa está disponível nos sites da Secult e do Carnaval da Cultura.

Fonte: Ascom/Secretaria de Cultura do Estado (Secult)

Mascarados de Maragogipe participam do Fuzuê, em Salvador


Quem duvida que já é Carnaval na cidade, acorda pra ver a programação do fim de semana. Além do Fuzuê, que abre a pré-folia no sábado, com participação dos Mascarados de Maragogipe, que estão participando por causa de uma ação da ACAMMPOM (Associação de Caretas, Mascarados e Manifestações Populares de Maragogipe)

No dia seguinte tem o Furdunço com mais de 30 atrações gratuitas, no Circuito Orlando Tapajós. O novo trajeto segue o circuito Barra-Ondina no sentido inverso, ou seja, do Clube Espanhol até o Farol da Barra.

O pré-Carnaval do folião no Furdunço começa às 15h, com direito a Carlinhos Brown com a Caetanave, a Fobica do grupo Armandinho, Dodô e Osmar e o minitrio da banda BaianaSystem. Tem, ainda, o axé de Durval Lelys e do Alavontê, o reggae da Adão Negro, o Micro Trio de Ivan Huol, o samba do Batifun, a percussão do Quabales e por aí vai...

Quem abre o Furdunço é Carlinhos Brown, com o projeto CarnaClássico - Vou Curtir a Rua, que dialoga com o tema do Carnaval deste ano: Vem Curtir a Rua. “A Bahia dialoga com as demais cidades do país nesse momento em que as músicas instrumentais invadem as ruas. O Carnaval baiano retoma também suas origens com a junção das guitarras baianas e traz as marchinhas elétricas”, destaca Brown.

Já a banda BaianaSystem encerra a programação feita para pular que nem pipoca, com repertório de sucessos e prévias do novo disco previsto para março. “Fico muito feliz, não me vejo em outro processo senão solto no mar, esse mar de gente, no nosso Navio Pirata”, afirma Russo Passapusso, 33 anos, vocalista da banda.

Criado em 2014, o Furdunço se consolidou como uma prévia do Carnaval. A ideia, segundo o presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), Isaac Edington, responsável pelo evento, é criar mais um atrativo para que “turistas antecipem sua chegada à cidade e os soteropolitanos tenham um motivo a mais para adiarem sua saída”.

“Tem esse duplo benefício de estímulo para reter as pessoas na cidade. Isso não é só uma grande brincadeira, tem todo um contexto econômico”, acrescenta Isaac Edington, que também ressalta o caráter intimista do evento. “É aquela bagunça organizada, sem corda, onde o folião tem contato mais próximo com o artista”, analisa a festa que se repete na sexta, dia 5, no Campo Grande, para quem quiser curtir a rua.

Circuito Orlando Tapajós: do Clube Espanhol ao Farol da Barra. Domingo, a partir das 14h.

CONFIRA PROGRAMAÇÃO COMPLETA

FUZUÊ
Ganhadeiras de Itapoan e baianas
Pierrot de Plataforma
Paroano Sai Milhó
Bloco Jacu/Barão
Bloco Sako Xeio
Mascarados de Maragogipe
Afoxé Korin Efan
Bloco travestidos as Kuviteiras
Os Mutantes
Commanches do Pelô

FURDUNÇO - BARRA
Oficina de Frevos e Dobrados
Bonecões em Folia
Cia Danças e Folguedos
Bereguedê Transeunte
Bandaço Jurema
Clube dos Caretas
Quabales
Mega Power Trio
Fobica dos Irmãos Macêdo
Sylvia Patricia e tuk tuk sonoro
Fred Menendez e Rixô Elétrico
Nano Trio e Garâmpiola
Chico Gomes e Peixinho Elétrico
Baianafolia
Os Informais
Ceguêra de Nó
Grupo Só Samba de Roda
Alex da Costa e Coreto Elétrico
Wilson Café
Micro Trio Ivan Huol
Flor Serena e Rural Elétrica
Barkalôca - Durval Lelys
Amanda Santiago
Caetanave com Brown
Virgilio
Adão Negro
Grupo DO3 com orquestra de pandeiros
Samba de Farofa
Batifun
Vitrola Baiana
Os Marchistas
Carlos Pitta
Janela Brasileira
Alavonté
BaianaSystem

FURDUNÇO- CAMPO GRANDE
Oficina de frevos e dobrados
Bonecões em Folia
Cia Danças e Folguedos
Bandaço Jurema
Clube dos Caretas
Quabales
Bereguedê Transeunte
Paroano Sai Milhó
Mega Power Trio
Fred Menendez e Rixô Elétrico
Nano Trio e Garâmpiola
Chico Gomes e Peixinho Elétrico
Baianafolia
Os Informais
Geovanna Costa
Ceguêra de Nó
Grupo Só Samba de Roda
Alex da Costa e Coreto Elétrico
Micro Trio Ivan Huol
Adão Negro
Virgilio
Vitrola Baiana
Samba de Farofa
Triokê
Janela Brasileira
Batifun
Os Marchistas
Flor Serena e Rural elétrica
Rumpillezz
Alavontê
BaianaSystem

MP alerta Governo do Estado e Prefeitura de Salvador sobre Vingadora, Kannario e afins

Para ter patrocínio oficial bandas como a Vingadora teriam quer rever repertório e coregrafia (Divulgação)

Músicas, danças ou coreografias que incentivem a violência estão proibidas no carnaval de Salvador. Em recomendação enviada ao governo da Bahia e à prefeitura de Salvador, o Ministério Público Estadual adverte que artistas, bandas, blocos e entidades carnavalescas contratadas com recursos públicos devem se enquadrar às exigências legais. Um dos casos a serem observados é o da banda Vingadora, que aposta na canção “Metralhadora” como um dos hits da folia.

A medida tem como base o cumprimento das leis Estadual n° 12.573/12 e Municipal 8.286/12, que proíbem o uso de recursos públicos para contratação de artistas que incentivem a violência, exponham as mulheres a situação de constrangimento ou contenham manifestação de homofobia, discriminação racial e apologia ao uso de drogas ilícitas. A documentação foi enviada pelo Grupo de Atuação em Defesa da Mulher e da População LGBT do MP (Gedem).

Segundo a promotora de Justiça Márcia Teixeira, coordenadora do Gedem, o Governo do Estado e a Prefeitura devem ainda incluir nos contratos com os artistas cláusulas de advertência conforme determinação das leis mencionadas. As instituições e órgãos públicos devem observar ainda o teor da Portaria n° 11/2015 do Conselho Municipal do Carnaval e outras Festas Populares (Comcar), que reitera a necessidade do uso em trios elétricos e carros de som de mensagem determinando “que fica terminantemente proibido aos associados, artistas ou agremiações carnavalescas a utilização de quaisquer objetos que incitem a violência física, moral e psicológica ou a desvalorização das mulheres, LGBT e negros”, explicou a promotora de Justiça.

Márcia Teixeira também enviou um ofício à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia recomendando que o órgão avalie as solicitações de patrocínio público para as atrações dos blocos infantis no Carnaval. Ela ressaltou que o cantor Igor Kannário teria sido contratado para ‘puxar’ o bloco infantil Ibeji, no entanto no documento enviado pelo bloco para solicitar patrocínio do Governo do Estado constava o nome da cantora Katê, “não havendo qualquer menção ao nome do cantor Igor Kannário, mesmo sendo este divulgado como principal atração do bloco”.

Kannario se notabiliza por envolvimento em situações controversas, já esteve preso por porte de drogas e se assume como usuário de maconha.

Fonte: MP e Bahia.Ba

sábado, 23 de janeiro de 2016

Abertas as inscrições para Concursos do Carnaval de Maragogipe 2016


A Prefeitura de Maragogipe, através da Secretaria de Cultura e Turismo, informa que já estão abertas as inscrições para os concursos de Marchinhas, Rei Momo, Rainha e Princesas do Carnaval de Maragogipe 2016. As inscrições devem ser feitas na Casa da Cultura, na Praça Ermezindo Mendes, das 08 às 14 horas, até o dia 22 de janeiro.

Os concursos de Marchinhas, Rei Momo, Rainha e Princesas serão realizados no dia 31 de janeiro, no Grito de carnaval, que acontecerá na Praça Ermezindo mendes.

Fonte: Ascom / Prefeitura de Maragogipe

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Rui Costa anuncia que investimento para o carnaval será menor que 2015


A folia em todo o estado da Bahia será mais moderada este ano, segundo adiantou o governador Rui Costa, na manhã desta terça-feira (19), durante a entrega da contenção de uma encosta no bairro de Canabrava. De acordo com o gestor, o valor final ainda não foi definido, mas ficará levemente abaixo dos aproximados R$ 80 milhões destinados ao ciclo festivo no ano de 2015.

Ainda sobre o período carnavalesco, o governador adiantou que as festas estão previstas para ocorrer em cidades como Porto Seguro, Ilhéus, Rio de Contas, Maragogipe e Barreiras, entre outras. A maior parcela do investimento será em segurança pública onde se prevê a aplicação de R$ 42 milhões – R$ 6 milhões a mais do em 2015 – em recursos do Estado, com 1/3 deste valor destinados ao aparato tecnológico, e o restante para o pagamento de pessoal.

Sobre a festa de Momo na capital, Rui adiantou que 25 mil homens e mulheres das polícias militar e civil, e do corpo de bombeiros atuarão na cidade. Como o tempo de festa será maior, as corporações trabalharão com esquema de rodízio para que todas as áreas sejam contempladas em todos os dias. Outra novidade serão os portões de acesso nos dois principais circuitos (Campo Grande e Barra-Ondina), para realizar revistas, a fim de restringir armas brancas na avenida.

Questionado sobre as especulações do valor do cachê que teria sido pago aos artistas Bell Marques e Ivete Sangalo para tocarem em trios sem cordas na festa, o governador evitou falar sobre o assunto, dizendo apenas que todo o investimento a ser realizado pelo Estado ainda está sendo fechado.

“Estamos negociando com todos os patrocinadores a remuneração dos artistas. O estado quer entrar, se possível, com o menor valor. Por isso está entrando em contato com todos os fornecedores, patrocinadores para identificar aqueles que têm interesse na venda de imagem para eles entrarem, patrocinarem e, portanto, sobrar dinheiro público”, afirmou o governador.

Rui revelou que uma coletiva deverá ser marcada na semana que antecede o início do carnaval na Bahia para apresentação de todo o investimento e trabalho dos órgãos e entidades do Estado, e onde será esclarecido todas as dúvidas sobre o orçamento da festa.